PUBLICIDADE

Relacionamento

Microagressões: grandes inimigas dos relacionamentos amorosos

Microagressões: grandes inimigas dos relacionamentos amorosos Microagressões: grandes inimigas dos relacionamentos amorosos

A relação de um casal se ergue sobre uma série de pilares básicos: respeito, compreensão, empatia, intimidade e cumplicidade.

Quando uma destas dimensões falha, as demais também começam a se enfraquecer. Porque sem uma boa comunicação, por exemplo, jamais poderá existir uma empatia adequada, e sem empatia não há uma cumplicidade autêntica.
Uma relação saudável e feliz é como um tecido forte de diversas cores no qual tudo se harmoniza, onde as diferenças são respeitadas porque existe um equilíbrio em todo este conjunto de fios, de bordados e de materiais que formam o tecido.

As microagressões são como se, dia após dia, fôssemos puxando um fio até removê-lo, até deixar pequenos buracos por onde escapam a harmonia e a felicidade.

Vejamos agora suas principais características:
A falta de atenção e a subvalorização
A falta de atenção e a subvalorização se traduzem em mostrar um desinteresse declarado em relação ao outro. Portanto, é também um tipo de microagressão que se pratica no dia a dia de forma persistente.

Estes seriam alguns pequenos exemplos que formam um dos inimigos mais comuns em uma relação de casal:

Ridicularizar o que o parceiro gosta.
Não prestar atenção aos detalhes que cuidam da relação.
Não ter tempo nunca para fazer algo juntos ou algo de que o parceiro goste: nenhum momento é bom.
Ironizar o que o cônjuge gosta diante de outras pessoas (“passa o dia inteiro lendo, fica perdendo tempo…”)