PUBLICIDADE

Beleza

6 atitudes que ajudam a deixar sua pele livre de manchas

Do uso diário do protetor solar às consultas com dermatologistas, saiba como agir.

Clara ou escura, nenhuma pele é livre de manchas. "Elas podem ser hipercrômicas (mais escuras que a cor da pele) ou hipocrômicas (mais claras que a cor da pele), o que indica, respectivamente, uma quantidade maior ou menor de melanina na região", explica a dermatologista especialista em estética Larissa Viana.

Ela e o dermatologista Gustavo Alonso, do Hospital Samaritano de São Paulo, destacam os principais tipos das hipercrômicas:

Melanoses ou lentigos solares: são as manchas causadas pelo sol. Escuras e arredondadas, surgem principalmente nas mãos, braços e pescoço
Melasmas: manchas no rosto, especialmente nas maçãs do rosto, buço e testa, de causa multifatorial. É relacionada à parte hormonal (gravidez, uso de pílula anticoncepcional), à exposição solar e à genética
Hiperpigmentação pós-inflamatória ou hipercrômicas residuais: aparecem depois do processo inflamatório de acne, picada de inseto ou queimadura. Inicialmente, são avermelhadas, e com o tempo podem ficar marrons
Cloasmas: as manchas de gravidez. Algumas alterações hormonais das gestantes podem estimular a produção de melanina e causar manchas marrons no rosto
Fitofotodermatoses: manchas causadas pela combinação do contato com frutas como limão, laranja, figo e caju com a exposição ao sol.

 

Já entre as hipocrômicas, merecem atenção especial as manchas de leucodermia solar, as sardas brancas que ocorrem principalmente nos braços e nas pernas e que são provocadas pela exposição excessiva ao sol.

Como evitá-las ou amenizá-las

Atitudes e hábitos do dia a dia podem ser decisivos para tratar as manchas de pele já existentes e para evitar que novas marcas apareçam. A seguir, os dermatologistas falam sobre as seis mais importantes.

1- Use protetor solar todos os dias

"O protetor solar ajuda a diminuir a produção de melanina, o que previne o aparecimento de novas manchas, e também auxilia na proteção do DNA das células em relação aos efeitos perigosos dos raios UVA e UVB, amenizando as já existentes", afirma Gustavo.

Larissa ressalta que a radiação ultravioleta atinge a pele mesmo na sombra e em dias nublados, por isso o protetor solar é necessário diariamente. Ela recomenda, em conformidade com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), produtos com Fator de Proteção Solar (FPS) mínimo de 30 e proteção contra os raios UVA. "Existem, ainda, protetores com princípios clareadores, como a vitamina C, e ácidos específicos que tratam a pele simultaneamente", sugere.

2- Não cutuque a pele

Gustavo dá especial importância à quebra deste hábito. "Não se deve cutucar a pele, especialmente as espinhas", diz. "Toda inflamação pode causar manchas, e ficar espremendo espinhas causa muita inflamação, o que pode gerar marcas desagradáveis".

3- Tenha uma alimentação rica em carotenoides

Mamão, laranja, cenoura, abóbora, manga e damasco são alguns dos alimentos ricos em carotenoides que devem ser incluídos no cardápio para ajudar na prevenção de manchas relacionadas à exposição solar, pois eles diminuem a oxidação causada pela radiação ultravioleta. "Eles reduzem as inflamações causadas pelo sol, que ativam a hiperpigmentação", esclarece Larissa.

4- Use cremes com renovadores celulares e inibidores de melanina

Esses cosméticos são, ao lado dos filtros solares, os principais aliados na proteção e na manutenção do clareamento da pele. "Os princípios ativos clássicos são os ácidos, como o retinóico, o glicólico, o ferúlico, o kójico, e o ascórbico-vitamina C", apresenta Larissa. "A hidroquinona é o despigmentante mais antigo e potente, e sua combinação com os ácidos é perfeita, desde que se tenha ajuda médica", completa.

Tratar a origem da mancha também é necessário, como lembra Gustavo: "Algumas manchas são causadas ou acentuadas pela inflamação; portanto, tratar o problema com anti-inflamatórios ajuda no clareamento da pele."

5- Saiba combinar cremes de tratamento e protetores solares

Para que o creme de tratamento tenha máxima eficácia e o protetor solar cumpra sua função de barrar os raios UVA e UVB, deve-se sempre seguir a seguinte ordem:

Lavar o rosto
Tonificar a pele
Aplicar o creme de tratamento
Esperar alguns minutos para sua absorção
Aplicar o protetor solar
Finalizar com repelente e maquiagem, se for o caso.
6- Consulte o dermatologista

O médico dermatologista é o especialista que pode diagnosticar com precisão as causas das manchas e indicar os produtos mais adequados para tratá-las. Além disso, é apenas no consultório dele que podem ser feitos peelings químicos com ácido, "muito eficientes para o tratamento das manchas escuras da pele", de acordo com Larissa. E medicamentos orais para recuperar a pele de danos causados pelos raios UVA e UVB ou para diminuir a ação de proteínas inflamatórias que fazem aparecer manchas características do melasma só podem ser usados sob prescrição médica.